Exxon deixa a Rússia, deixando US $ 4 bilhões em ativos e projeto Sakhalin LNG em dúvida

O logotipo da ExxonMobil na Rio Oil and Gas Exhibition and Conference no Rio de Janeiro, Brasil, 24 de setembro de 2018. REUTERS/Sergio Moraes

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

HOUSTON, 1º de março (Reuters) – ExxonMobil (XOM.N) Na terça-feira, disse que deixaria as operações russas de petróleo e gás avaliadas em mais de US$ 4 bilhões e suspenderia novos investimentos como resultado da invasão da Ucrânia por Moscou.

A decisão faria com que a Exxon se retirasse do gerenciamento de grandes instalações de produção de petróleo e gás na Ilha Sakhalin, no Extremo Oriente da Rússia, e colocaria em dúvida o destino de uma instalação de GNL multibilionária proposta.

“Lamentamos a ação militar russa que viola a integridade territorial da Ucrânia e coloca seu povo em risco”, disse a empresa em comunicado criticando a intensificação dos ataques militares.

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

Sua saída planejada segue dezenas de outras empresas ocidentais, desde a Apple (AAPL.O) e Boeing (banimento) Para BP PLC, Shell e Equinor ASA da Noruega (EQNR.OL) que suspendeu suas operações ou anunciou planos de abandonar suas operações na Rússia.

A Exxon, que deve se reunir com analistas de Wall Street na quarta-feira, não forneceu um cronograma para sua saída, nem comentou sobre possíveis baixas de ativos. Seus ativos na Rússia foram avaliados em US$ 4,055 bilhões em seu último relatório anual em fevereiro.

Mais cedo, a Exxon começou a remover funcionários americanos da Rússia, disseram duas pessoas familiarizadas com o assunto. Não ficou claro quantos funcionários estavam sendo evacuados. Uma pessoa disse que a empresa enviou um avião para a Ilha Sakhalin para resgatar funcionários.

READ  Mark Zuckerberg acabou de sugerir um sistema operacional para o Meta e disse que espera que o metaverso gere centenas de bilhões em receita até o final da década

A Exxon opera três grandes campos offshore de petróleo e gás com operações baseadas na Ilha Sakhalin em nome de um consórcio de empresas japonesas, indianas e russas que inclui a russa Rosneft. (ROSN.MM). O grupo estava apresentando planos para adicionar um terminal de exportação de GNL no local.

disse Anish Kapadia, Diretor de Energia e Consultor e Pesquisador de Mineração Pallissy.

A empresa, que desenvolve campos de petróleo e gás russos desde 1995, está sob pressão para romper os laços com a Rússia devido à invasão da Ucrânia por Moscou. A Rússia descreve suas ações na Ucrânia como uma “operação especial”.

A instalação de Sakhalin, que a Exxon opera desde o início da produção em 2005, representa um dos maiores investimentos diretos individuais na Rússia, de acordo com uma descrição do projeto no site da Exxon. A operação recentemente bombeou cerca de 220.000 barris de petróleo por dia.

Um porta-voz da Sakhalin Oil and Gas Development Corporation (Sodeco), que detém uma participação de 30% no projeto Sakhalin-1, disse que estava tentando confirmar detalhes do anúncio da Exxon, acrescentando que monitoraria a situação entre a Rússia e a Ucrânia. Decida o que fazer no futuro.

Corporação de Exploração de Petróleo Financiada pelo Estado do Japão (JAPEX) (1662t)que detém 15,285% da SODECO, também está verificando os detalhes do anúncio da Exxon e falará com seus parceiros para determinar um plano futuro, disse um porta-voz da Japex.

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

(Reportagem de Sabrina Valley) Reportagem adicional de Gary McWilliams e Yuka Obayashi; Edição por Grant McCall, Kenneth Maxwell e Richard Bolena

Nossos critérios: Princípios de Confiança da Thomson Reuters.

READ  Futuros de ações sobem à medida que Wall Street olha para os principais dados de inflação

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.