Ministro da Defesa da China expressa apoio à Rússia e à Bielo-Rússia | Notícias da Guerra Rússia-Ucrânia

Pequim diz que a medida ressalta o esforço da China e da Rússia para alinhar as políticas externas em um esforço para minar a ordem mundial liberal-democrática ocidental.

O ministro da Defesa chinês, Li Shangfu, está visitando a Rússia e a Bielo-Rússia enquanto o Ocidente tenta isolar os dois aliados por causa da agressão de Moscou na Ucrânia.

Li partiu na segunda-feira para uma viagem de seis dias durante a qual falará na Conferência de Moscou sobre Segurança Internacional e se reunirá com líderes de defesa da Rússia e de outros países, disse o Ministério da Defesa da China em sua conta de mídia social, citando seu porta-voz, o coronel Wu Qian . .

O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, deve falar na conferência, dizendo que “a maioria dos países do mundo está procurando maneiras de se desenvolver fora dos mecanismos ocidentais, incluindo o fortalecimento de novos tipos de associações multilaterais”, informou a agência de notícias oficial russa TASS.

Representantes de cerca de 100 países e oito organizações internacionais foram convidados a participar.

“Eles discutirão vários aspectos de segurança nas condições de estabelecimento de uma ordem mundial multipolar, formas de restaurar a cooperação internacional construtiva no contexto de reivindicações agressivas das elites euro-atlânticas pela hegemonia mundial”, disse Doss, citando o Ministério das Relações Exteriores da Rússia. Porta-voz.

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Wang Wenbin, disse que os líderes chinês e russo “mantiveram laços estratégicos de maneiras diferentes em várias questões”.

“Os dois lados tiveram intercâmbios regulares de alto nível sobre uma ampla gama de tópicos, incluindo cooperação bilateral e questões de interesse mútuo”, disse Wang a repórteres em um briefing diário.

READ  Rishi Sunak prometeu parar de buscar asilo de pequenos barcos

“Os dois países continuarão a promover a parceria cooperativa estratégica abrangente China-Rússia na nova era”, disse ele.

Esta é uma aparente referência a uma declaração conjunta do presidente russo, Vladimir Putin, e de seu colega chinês, Xi Jinping, em Pequim no ano passado, que declarou “amizade sem fronteiras”.

Xi, por sua vez, visitou Moscou em março para enviar uma mensagem aos líderes ocidentais de que seus esforços para isolar Moscou nos combates na Ucrânia estavam fracassando.


Uma ordem mundial liderada pelo Ocidente

A participação de Li na conferência ressalta ainda mais o esforço da China e da Rússia para alinhar suas políticas externas em um esforço para minar a ordem mundial liberal-democrática liderada pelo Ocidente, apesar dos custos econômicos e de reputação.

Ele será seguido por uma visita à Bielo-Rússia, um aliado russo cujo território foi usado em parte para encenar a invasão do ano passado. Enquanto estiver lá, Li realizará reuniões com o governo bielorrusso e líderes militares e visitará instalações militares, disse o ministério.

A China afirma ser neutra no conflito, mas os EUA e seus aliados acusam a Rússia de incitá-lo e mantêm fortes laços econômicos, diplomáticos e comerciais com Moscou.

A China apoiou com credibilidade a Rússia ao se opor à condenação dos EUA à invasão da Ucrânia em fóruns internacionais, mas diz que não fornecerá armas a nenhum dos lados da guerra.


Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *