O chef José Andrés diz que Israel está cometendo uma “guerra contra a humanidade” em entrevista exclusiva ao This Week.

O fundador do World Central Kitchen falou com a co-âncora do programa “This Week”, Martha Raddatz.

Os militares israelenses disseram na sexta-feira que seu ataque aéreo em Gaza, que matou trabalhadores humanitários em 1º de abril, ocorreu depois que as forças israelenses disseram ter identificado erroneamente um trabalhador da WCK no comboio como um militante do Hamas. Israel tem travado uma guerra contra o Hamas em Gaza nos seis meses desde que os terroristas do grupo invadiram Israel em 7 de Outubro, matando cerca de 1.200 pessoas, a maioria delas civis, e raptando cerca de 250 outras.

Assista à entrevista completa com Jose Andrés no programa “This Week” da ABC na manhã de domingo.

Ao todo, pelo menos 1.700 pessoas foram mortas em Israel e 8.700 ficaram feridas, segundo o Ministério das Relações Exteriores de Israel. Em Gaza, mais de 33 mil pessoas foram mortas e cerca de 76 mil ficaram feridas, de acordo com o Ministério da Saúde administrado pelo Hamas em Gaza.

Andres contestou as conclusões das FDI sobre o ataque ao comboio, dizendo a Raddatz: “Cada vez que algo acontece, não podemos incluir o Hamas na equação”.

“Não se trata mais dos sete homens e mulheres da World Central Kitchen que morreram neste infeliz acontecimento. Isso vem acontecendo há muito tempo. Já se passaram seis meses atacando qualquer coisa que parecesse se mover”, disse Andres.

READ  Dezenas de mortos em colisão entre dois ônibus no centro do Senegal | Notícias

Ele acrescentou: “Isto não parece ser uma guerra contra o terrorismo. Já não parece ser uma guerra para defender Israel. Na verdade, nesta fase, é uma guerra contra a própria humanidade.”

Os militares israelitas bombardearam um comboio de três veículos WCK na noite de 1 de Abril, depois de este ter deixado o armazém de Deir al-Balah, no centro de Gaza, onde trabalhadores humanitários ajudaram a descarregar mais de 100 toneladas de ajuda humanitária trazidas para Gaza através da rota marítima. De acordo com WCK. Os veículos estavam espalhados em vários locais, abrangendo cerca de 2,4 quilômetros, de acordo com uma análise da ABC News de imagens do local e imagens de satélite.

Os resultados publicados pelo exército israelense na sexta-feira disseram que três ataques tiveram como alvo o comboio. Ela também disse que os trabalhadores da WCK que ficaram feridos no primeiro veículo ficaram feridos novamente ao se mudarem para outro veículo do comboio. As FDI confirmaram que o grupo de ajuda tinha coordenado adequadamente os seus movimentos com eles com antecedência, mas reconheceu que as autoridades israelitas não tinham informado a sua brigada sobre a operação humanitária coordenada.

“Os resultados da investigação indicam que o incidente não deveria ter ocorrido. Aqueles que aprovaram a operação estavam convencidos de que ela tinha como alvo ativistas armados do Hamas e não funcionários da WCK”, disse a IDF, descrevendo a operação como “um grave erro decorrente de uma falha grave devido à identificação errada.” “Erros na tomada de decisões e um ataque que viola os procedimentos operacionais padrão.”

READ  Xangai da China lança bloqueio de dois estágios à medida que o coronavírus se espalha ainda mais

Quando questionado por Raddatz se estava satisfeito com as conclusões do relatório, Andres agradeceu às IDF por conduzir “uma investigação tão rápida”, apesar de pedir uma investigação mais abrangente e independente.

“Vou dizer algo muito complicado, a investigação deveria ser muito mais profunda”, afirmou. “Eu diria que o perpetrador não pode investigar a si mesmo.”

As autoridades norte-americanas estão a rever o relatório de Israel “com muito cuidado” e “discutirão as suas conclusões com as autoridades israelitas e com organizações humanitárias nos próximos dias”, disse o secretário de Estado, Antony Blinken, aos jornalistas na sexta-feira.

Com base nas conclusões da investigação, as IDF despediram dois oficiais, suspenderam dois comandantes e repreenderam outros três pelo seu papel no ataque, de acordo com o porta-voz militar, almirante Daniel Hagari.

“Isto é uma tragédia”, disse Hagari aos repórteres na sexta-feira.”Foi uma série terrível de erros e nunca deveria ter acontecido. As IDF têm total responsabilidade por esta infeliz perda de vidas.”

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *