O presidente chinês visita o Vietnã depois de Biden e busca relações mais fortes

O presidente chinês, Xi Jinping, participa de uma reunião de líderes na Cúpula de Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (APEC) em São Francisco, Califórnia, EUA, em 17 de novembro de 2023. REUTERS/Carlos Barria/Foto de arquivo Obtenção de direitos de licenciamento

  • Xi inicia primeira viagem ao Vietnã em seis anos
  • China espera fortalecer relações com Hanói
  • Potenciais negócios em ferrovias, infraestrutura digital e terras raras

HANÓI (Reuters) – O presidente chinês, Xi Jinping, inicia uma visita de dois dias ao Vietnã nesta terça-feira para fortalecer as relações entre os dois países comunistas, três meses depois que o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, visitou Hanói, com grandes potências disputando influência no sudeste do país. Nação asiática.

A primeira viagem de Xi ao Vietnã em seis anos foi planejada há meses e foi brevemente considerada dias antes da visita de Biden, disseram autoridades.

Apesar das relações muito estreitas na frente económica, os dois vizinhos têm estado em desacordo sobre as fronteiras no Mar da China Meridional e têm uma longa história de conflito.

“O futuro da Ásia não está nas mãos de ninguém, exceto dos asiáticos”, disse Xi num artigo de opinião publicado pelo jornal do Partido Comunista Vietnamita antes da sua visita.

Acrescentou que uma “comunidade de futuro partilhado” entre os dois países seria de importância estratégica, ao mesmo tempo que alertava para o aumento da “hegemonia” no mundo, numa clara referência aos Estados Unidos, embora não o tenha mencionado por nome.

Autoridades e diplomatas disseram que a visita de Xi também foi adiada devido a longas conversações sobre o uso da expressão “futuro partilhado” preferida por Pequim para descrever as relações entre os dois lados, apesar da oposição inicial de Hanói.

READ  Os Estados Unidos aceitarão refugiados ucranianos?

“Dezenas” de negócios

O jornal governamental vietnamita Tuy Tre citou o embaixador chinês Xiong Bo dizendo antes da visita de Xi que, além de elevar as relações a um nível que Pequim poderia considerar superior ao que tem com os Estados Unidos, a atualização do status viria com a assinatura de “dezenas de documentos de cooperação.” .

Espera-se que os acordos incluam investimento chinês para desenvolver linhas ferroviárias entre os vizinhos, o que pode incluir subvenções, embora a dimensão e os termos dos potenciais empréstimos não sejam claros.

O reforço das ligações de transporte permitiria ao Vietname exportar mais para a China, especialmente produtos agrícolas, enquanto Pequim pretende integrar ainda mais o norte do país com as redes da cadeia de abastecimento do sul.

As empresas chinesas transferiram algumas das suas operações para o Vietname este ano mais rapidamente do que antes da pandemia de Covid-19, procurando estar mais próximas dos clientes ocidentais, reduzir os riscos das tensões comerciais entre os EUA e a China e reduzir a exposição à fraca economia chinesa.

Redes ferroviárias mais fortes acelerariam a importação de componentes da China para montagem no Vietname, expandindo efectivamente a Iniciativa Cinturão e Rota da China.

No seu editorial, Xi apelou a uma cooperação mais rápida na construção de infra-estruturas.

A China pressionou pela inclusão do Vietname na Rota da Seda Digital, o que poderia implicar investimentos em novos cabos submarinos de fibra óptica, 5G e outras infra-estruturas de comunicações.

Embora o Metro de Hanói seja o único projecto no Vietname a receber empréstimos da BRI, não foi rotulado como tal num país onde o sentimento anti-China permanece suficientemente difundido para que tais movimentos possam ser vistos como… Muito próximos de Pequim.

READ  Zelensky intensifica campanha anticorrupção com a saída de 15 funcionários ucranianos | Ucrânia

Xi pediu uma cooperação mais ampla nas áreas de segurança, comunicação, energia verde e minerais importantes, referindo-se às terras raras das quais a China é o maior refinador do mundo, enquanto o Vietname tem a segunda maior reserva estimada depois do seu vizinho.

Relatado por Francesco Guarascio @fraguarascio; (Reportagem adicional de Khanh Vu e Phuong Nguyen – Preparado por Muhammad para o Boletim Árabe) Edição de Lincoln Feast e Clarence Fernandez

Nossos padrões: Princípios de confiança da Thomson Reuters.

Obtenção de direitos de licenciamentoabre uma nova aba

Francesco lidera uma equipa de repórteres no Vietname que cobre as notícias financeiras e políticas mais importantes do país em rápido crescimento do Sudeste Asiático, com foco nas cadeias de abastecimento e nos investimentos industriais em vários setores, incluindo eletrónica, semicondutores, automóvel e energias renováveis. Antes de Hanói, Francesco trabalhou em Bruxelas em assuntos da União Europeia. Fez também parte da equipa central global da Reuters que cobriu a pandemia da COVID-19 e participou em investigações sobre branqueamento de capitais e corrupção na Europa. Ele é um viajante ávido e sempre faz questão de levar uma mochila para explorar novos lugares.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *