O projeto de lei final de gastos da NASA para 2024 adia uma decisão sobre o financiamento do MSR

WASHINGTON – Os apropriadores do Congresso divulgaram um projeto de lei de gastos final para o ano fiscal de 2024 que corta o financiamento da NASA daquele que a agência recebeu em 2023, ao mesmo tempo que atrasa uma decisão de gastos sobre o Retorno de Amostras de Marte (MSR).

Os apropriadores da Câmara e do Senado divulgaram em 3 de março o texto do projeto de lei e a linguagem do relatório para seis dos 12 projetos de lei de dotações do ano fiscal de 2024, incluindo o projeto de lei de gastos de Comércio, Justiça e Ciência (CJS) que financia a NASA. Espera-se que o Congresso aprove os projetos antes que a resolução contínua para financiar as agências abrangidas pelo projeto expire em 8 de março.

O projeto fornece US$ 24,875 bilhões para a NASA, 2% menos do que a agência recebeu em 2023 e 8,5% menos do que os US$ 27,185 bilhões solicitados pela NASA para 2024. O valor final também está abaixo dos níveis dos projetos separados da Câmara e do Senado de US$ 25,367 bilhões e US$ 25. bilhões, respectivamente.

Em relação ao MSR, onde a Câmara e o Senado forneceram números muito diferentes, o projeto final dá flexibilidade à NASA. A incerteza sobre os gastos do programa levou a NASA a cortar gastos com a MSR em Novembro, enquanto estava sob uma resolução em curso, e a incerteza prolongada levou o Laboratório de Propulsão a Jato, o principal centro da MSR, a despedir 8% do seu pessoal em Fevereiro.

No relatório que acompanha o projeto de lei, os especialistas observaram que a NASA está reavaliando a arquitetura do MSR por meio de um grupo chamado Equipe de Resposta do Conselho de Revisão Independente do MSR, ou MIRT. “O acordo exige que a NASA apresente um relatório o mais tardar 60 dias após a conclusão do relatório MIRT sobre o caminho recomendado para a MSR, dentro de um portfólio científico equilibrado”, incluindo um perfil de financiamento anual para a MSR, disse o relatório.

READ  iPhone 16 Pro: quatro novos recursos de câmera chegando este ano

O relatório orienta a NASA a gastar pelo menos US$ 300 milhões, o valor do projeto do Senado, na MSR, e até US$ 949,3 milhões, o valor do projeto da Câmara. Também orienta a NASA a não demitir mais pessoas no programa MSR até que a agência forneça ao Congresso um relatório sobre o futuro do MSR.

O relatório também inclui US$ 227 milhões para a missão On-Orbit Service, Assembly and Manufacturing (OSAM) 1, uma missão experimental de tecnologia de manutenção de satélites que a NASA anunciou em 1º de março que planeja cancelar. Não está claro se os apropriadores estavam cientes da intenção da NASA de cancelar o OSAM-1 quando elaborou o relatório, mas recomenda uma revisão contínua em setembro de 2024 se a NASA não conseguir manter a missão dentro do custo e do orçamento, removendo “não essenciais capacidades.”

o relatório final Em muitos casos, a linguagem foi adotada a partir de O relatório é do projeto de lei do Senado Aprovado pelos alocadores em julho. Isso incluiu o pedido da NASA de US$ 228,4 milhões para seu Programa Comercial de Destinos em Órbita Terrestre Baixa para apoiar o desenvolvimento de sucessores comerciais da Estação Espacial Internacional. Este relatório também expressou apoio ao desenvolvimento de um veículo extraorbital a partir da Estação Espacial Internacional, mas não especificou o financiamento necessário para isso. NASA solicitou US$ 180 milhões Para o veículo deorbitado mediante solicitação.

O relatório orienta a NASA a financiar os programas Space Launch System e Orion em seus níveis de 2023 de US$ 2,6 bilhões e US$ 1,339 bilhão, respectivamente, um pouco mais do que a NASA solicitou para 2024. O relatório também inclui financiamento total de US$ 1,88 bilhão para o Human Landing System (HLS). ). ) “para cumprir todas as obrigações contratuais de ambos os provedores de HLS no ano fiscal de 2024.”

READ  A série AMD Ryzen 7000X3D disse apresentar modelos de 16, 12 e 8 núcleos, chegando em janeiro de 2023

Na ciência, o projeto fornece à divisão de heliofísica da NASA US$ 805 milhões, valor que recebeu em 2023, e cerca de US$ 55 milhões a mais do que o pedido. Também orienta a NASA a apresentar um plano para lançar uma grande missão heliofísica, a Constelação de Dinâmica Aeroespacial, até o final da década, depois que a NASA planejou adiar a missão. Da mesma forma, o relatório pede à NASA que obtenha financiamento suficiente para a missão Veritas Venus, que foi adiada até ao início da década de 2030 devido a pressões orçamentais e recursos limitados no JPL, para permitir o lançamento até ao final da década.

O projeto de lei final fornece financiamento significativo para o trabalho de propulsão nuclear na Diretoria de Tecnologia Espacial da agência, com US$ 110 milhões para propulsão térmica nuclear (NTP) e US$ 50 milhões para propulsão elétrica nuclear. O financiamento do NTP inclui US$ 10 milhões para acelerar o desenvolvimento do sistema NTP operacional com parceiros comerciais concomitantes ao projeto DRACO no qual a NASA está colaborando com a DARPA.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *