Você cobre a lavagem? Você não verá isso depois de assistir a isso: ScienceAlert

Os cientistas usaram uma combinação de lasers verdes e câmeras para iluminar o efeito que a descarga do vaso sanitário tem sobre o ambiente – e duvidamos que você tenha a chance de deixar a tampa aberta enquanto dá a descarga novamente depois de ver os resultados.

O vídeo, produzido por uma equipe de pesquisadores da Universidade do Colorado, em Boulder, nos Estados Unidos, mostra uma onda de minúsculas gotículas de água, invisíveis a olho nu, saindo do vaso sanitário após a descarga. É meio nojento, se você pensar no que pode ser suspenso nessas minúsculas gotas.

“As pessoas sabiam que os banheiros soltavam spray, mas não podiam ver”, afirma o engenheiro civil e ambiental John Crimaldida Universidade do Colorado Boulder.

“Mostramos que essa coisa é uma coluna muito mais ativa e difundida do que as pessoas que conheciam esse conceito.”

Como os próprios pesquisadores reconhecem, há um “fator fraco” aqui – reforçado pelo estranho brilho verde da luz do laser – mas também uma mensagem importante sobre a limpeza do banheiro, tanto em residências particulares quanto nos banheiros públicos, muitas vezes sem tampa.

Crimaldi e seus colegas pesquisadores têm o cuidado de enfatizar que não são epidemiologistas e, portanto, não há cálculos precisos aqui sobre o potencial de propagação da doença. No entanto, sua exibição fornece um elemento gráfico para Outros estudos que tenta estimar as características de aerossóis carregados de bactérias.

Enquanto Estudos anteriores Tendo claramente identificada a possibilidade de fuga de partículas da sanita durante a descarga, ainda existe muita incerteza sobre como estas partículas se deslocam e onde podem ir parar.

Dois tipos de lasers foram usados: um brilhava continuamente no vaso sanitário de cima para iluminar a cena, e o outro enviava pulsos rápidos de luz pelo topo do vaso sanitário para destacar o movimento das partículas. Imagens de alta resolução foram capturadas pelas câmeras ao mesmo tempo.

READ  Astronautas russos em caminhada espacial fora da estação espacial orbitando o Brasil

border frame=”0″allow=”acelerômetro; começo automático; Gravação na área de transferência. mídia codificada por giroscópio; picture-in-picture “allowfullscreen>”.

Os pesquisadores mostraram gotículas de até 1,5 metro (4,9 pés) de altura depois de fluir, viajando a velocidades superiores a 2 metros (6,6 pés) por segundo em alguns lugares. Os pesquisadores mostraram que gotas maiores se depositam nos serviços mais rapidamente, enquanto gotas menores podem permanecer no ar por vários minutos.

“Esperávamos que essas partículas de aerossol flutuassem, mas elas saíram como um foguete.” diz Crimaldi.

“O objetivo de um banheiro é remover efetivamente os resíduos da tigela, mas também faz o oposto, que é borrifar muito do conteúdo”.

Não havia nada no vaso sanitário, exceto água durante a descarga uma experiência. Também não havia box ao redor do banheiro e nenhuma pessoa correndo como se houvesse um banheiro público. Na vida real, todas essas variáveis ​​afetarão o movimento das gotículas.

No entanto, mesmo neste ambiente um tanto artificial, há claramente muito espaço para a água – e qualquer coisa que a esteja carregando – para retirá-la do vaso sanitário, onde pode acabar grudada em superfícies e roupas.

Os pesquisadores acreditam que mais precisa ser feito para reduzir o risco de infecção por patógenos como Escherichia coliE a C. difícilE a norovírusE as Adenovírus Espalhamento em banheiros públicos, com métodos aprimorados de design, ventilação e desinfecção com todas as opções.

Para que essas melhorias funcionem de forma eficaz, é essencial saber para onde a água está indo, o que este estudo mostra de forma mais dramática do que nunca – e de uma forma que nunca esqueceremos.

“Se há algo que você não pode ver, é fácil fingir que não está lá.” diz Crimaldi. “Mas depois de assistir a esses vídeos, você nunca mais pensará em dar descarga no banheiro da mesma maneira.”

READ  Neve subaquática revela pistas sobre o mundo oceânico da Europa

“Ao criar visuais interessantes desse processo, nosso estudo pode desempenhar um papel importante nas mensagens de saúde pública”.

Pesquisa publicada em Relatórios científicos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *